Um mês pelo melhor das Filipinas: o itinerário

Quando me fazem a genérica pergunta “Qual foi o país que mais gostaste?” eu costumo responder que as Filipinas foram o país que mais me surpreendeu. Apesar de ter as expectativas bastante altas quase cancelei a minha viagem por questões de segurança. Felizmente decidi ignorar os avisos e fui na mesma. E encontrei o país e pessoas mais maravilhosas de sempre.

O primeiro impacto não foi o melhor, mas nem todas as histórias de amor começam com amor à primeira vista. Manila pode ser esmagadora: a poluição, o trânsito caótico, casas de lata, comunidades inteiras a dormir no chão… A pobreza do país é devastadora, principalmente para os nossos olhos e corações de berço de ouro.

A aterrar em Manila

Mas uma vez ultrapassada essa parte e ao falar com os Filipinos, percebemos que não há povo mais humilde e sorridente que este. Afinal, “it’s more fun in the Philippines”.  

Por motivos de tempo e dinheiro não consegui ficar um mês nas Filipinas, fiquei apenas 3 semanas. Contudo tenho o itinerário perfeito para um mês que espero poder completar quando lá voltar!

Manila (1/2 dias)

Quer queiras, quer não vais ter que passar em Manila. É o maior aeroporto do país e as probabilidades de lá ires parar são bastante elevadas. Eu decidi ficar dois dias e uma noite para poder descansar das 23 horas que demorei a lá chegar a partir da Nova Zelândia.

Apesar de não ser uma cidade bonita, tem uma zona chamada Intramuros com vários edifícios da altura da colonização espanhola que vale a pena ver.

Para dormir, fiquei no Pink Manila. Aconselho-te a escolher um quarto com ar condicionado: são mais pequenos e Manila é uma cidade muito quente e húmida. O hostel em si é genial para conhecer pessoas, tem uma piscina e um rooftop óptimos. Passei lá 90% do tempo em que estive em Manila.

Copyright: Pink Manila

Copyright: Pink Manila

Banaue (3 dias)

Como escrevi neste post, a experiência de caminhar durante três dias pelos arrozais das Filipinas e conhecer aldeias quase paradas no tempo foi inesquecível. É um percurso de muito suor, calor e lama mas as paisagens, as pessoas e a jornada em si valem muito a pena.

Transporte Manila – Banaue: Autocarro da Ohayami Bus

Sagada (1 dia)

Famosa pelos seus “caixões pendurados”, Sagada foi uma agradável surpresa. Uma pequena vila com cafés maravilhosos (incluindo pequenos almoços cheios de iogurte!!) e uma história e cultura muito peculiares.

Na van de Banaue para Sagada conheci um casal Suíço que tinha reservado um quarto na Treasure Rock Inn e decidi ir até lá com eles para ver se também tinham um quartinho para mim. A senhora que nos atendeu era um anjo e para além de me arranjar um quarto também se tornou a nossa guia para o dia.

Atenção: no centro turístico eles têm a possibilidade de arranjar um guia, mas foram tão antipáticos quando lhes perguntei sobre as tours que assim que a nossa host ofereceu os seus serviços dissemos logo que sim.

Começámos por caminhar até aos caixões suspensos. Esta é uma tradição que já dura há dois milhares de anos e trata-se de “enterrar” os mortos em caixões pregados a rochedos. Hoje em dia este costume mantem-se, mas numa escala mais pequena. Outros caixões estão dentro de buracos nas rochas e é possível ver uns ossinhos a sair! A nossa guia ia apontando para alguns que continham membros da família dela o que tornou tudo ainda mais estranho!

Em Sagada, quando uma pessoa morre, o corpo é posto numa cadeira para, ao endurecer, tomar uma posição fetal. 24 horas depois o corpo, ainda em cima da cadeira, é transportado pela família até aos rochedos. Durante o caminho, familiares debatem-se sobre quem deve levar a cadeira, porque acreditam que o conhecimento do falecido passará para eles através do toque. Uma vez no local, o caixão e o corpo são erguidos e fixados no local desejado. Nalguns casos é possível ver a cadeira onde são transportados.

Depois desta parte mais bizarra, andámos pelo meio das grutas com rios subterrâneos. Mais uma vez já tinha desistido de tentar poupar os meus ténis e aconselho-te a fazer o mesmo porque é muito mais perigoso se fores de chinelas. No fim tivemos o meu momento favorito, andar de baloiço em lianas qual Jane do Tarzan!

Típico banho na cascata!

Oláaaa!

Melhor pequeno almoço: Yoghurt House. Por alguma razão estava vila tem restaurantes super modernos e ocidentalizados. Não estava nada à espera de encontrar gastronomia europeia no meio das montanhas das Filipinas!

Transporte Banaue – Sagada: Van. Também existem vários jeepneys.

Manila (1 dia)

De volta a Manila para no dia seguinte apanhar o ferry. Foi um dia para relaxar, comprar uns ténis novos e ver muito Netflix. Mais uma vez fiquei no Pink Manila.

Transporte Sagada – Manila: Autocarro. Possível de marcar aqui ou em Sagada quando lhes apetece trabalhar (raramente).

Coron (3 dias)

Foi aqui que começou a minha aventura pelo famoso arquipélago de Palawan. Dos três sítios que visitei nesta zona, é fácil eleger Coron, muitas vezes ignorado, como o mais espectacular. Três dias de mar, sol, praia e Island hopping neste post!

Transport Manila – Coron: Ferry 2GO.

El Nido (3 dias)

Com a massificação do turismo, El Nido foi uma das zonas das Filipinas que mais sofreu. Não é que não tenha paisagens espectaculares, águas cristalinas ou plameiras e areia branca. Mas com a exploração do turismo, o aumento dos preços e gente por todo o lado nas praias “secretas” este não foi o sítio que mais me encantou nas Filipinas. Tudo sobre El Nido aqui!

Transporte Coron – El Nido: Ferry

Port Barton (2 dias)

No extremo oposto está Port Barton, o sítio mais paz de alma que se pode encontrar! Aqui divertimo-nos a não fazer nada, a beber Cuba Libres e a fazer snorkeling em corais intocados. A nossa experiência no fim do mundo romântico neste post!

Transporte El Nido – Port Barton: Van

Cebu City/ Bohol (2 dias)

Entretanto fui-me embora das Filipinas, mas tenho mais duas sugestões. Uma delas é Bohol (em Cebu todos os hostels oferecem esta tour), casa das montanhas de chocolate e habitat natural dos Tarsiers, o primata mais pequeno do mundo. Podes encontrar também praias fantásticas como a Panglao Island e a Alona Beach e a Hinagdanan Cave também é bastante conhecida.

Copyright: Wikipedia
Copyright: Wikipedia

Nadar com os Tubarões Baleia é uma das atracções mais famosas de Cebu, mas por favor não o faças. Estes animais já não são selvagens. Todos os dias são alimentados por dezenas de barcos só para propósitos turísticos. Ninguém quer saber se as pessoas tocam neles ou se lhes enfiam selfie sticks na testa. Por isso não suportes este tipo de turismo que ignora completamente o bem-estar destes animais incríveis.

Transporte Port Barton – Cebu: Van até Puerto Princesa. Voo de PP até Cebu.

Siargao (5 dias)

A segunda sugestão e o lugar que me faz querer voltar às Filipinas. Com o tempo que tinha era completamente impossível de chegar a Siargao, mas depois de ver as fotos e ler testemunhos de vários bloggers este sítio está no topo da minha bucketlist.

Deixo aqui alguns blogs com informação sobre Siargao para te poderes orientar caso queiras lá ir: Backpacking with a book  | Just one way ticket | Expert Vagabond

E assim acabo o itinerário de um mês num dos meus países preferidos. Quando planeares o teu itinerário tem em conta que vais demorar algum tempo a deslocares-te de ilha para ilha e isso vai-te “comer” alguns dias. Mas vale tanto a pena!

One Comment Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s