Desmistificados: 5 mitos sobre viajar sozinho

Quando postas na mesma frase as palavras “viajar” e “sozinha” parece que há toda uma magia negra que se apodera de quem as lê ou ouve. O perigo, o medo, a solidão… de repente, o mundo é um lugar negro, cheio bichos papões.

Mas muitas destas grandes preocupações são, na verdade, infundadas e a prova é que há muitas mulheres e homens a viajar sozinhos por todo o mundo e estão bem vivinhos e felizes da silva. Por isso, com este post, quero desmistificar alguns mitos sobre solo travelling, tanto para aqueles que querem arriscar mas têm receio como para aqueles que conhecem pessoas que vão viajar sozinhas e NÃO querem estragar-lhes a viagem com pensamentos aterrorizantes e irreais.

Mito 1# – “Então, mas… vais sozinha?”

A ideia de solidão parece assustar muito boa gente. Eu, sendo filha única, estou muito habituada a estar sozinha e fico muito feliz por ter tempo só para mim e para os meus pensamentos. Mas mesmo que não estivesse, não havia grande problema. Viajar sozinha é sinónimo de fazer amizades em todo o lado. Em viagens de autocarro, em hostels, em tours, em cursos de mergulho, nos sinais de trânsito, na fila para comprar bilhetes… literalmente em todo o lado.

Várias vezes dei por mim a tentar não meter muita conversa porque queria estar sozinha! Ao viajar tornei-me muito mais independente e extrovertida, há uns anos era muito mais envergonhada. Por isso não te preocupes, o Mundo está à tua espera de braços abertos.

Mito 2# – “Não tens medo? Eu cá tinha…”

Sim, tenho medo. No dia antes de partir para uma viagem grande penso sempre “Onde é que me fui meter. Não vou conseguir fazer isto!” sabendo ao mesmo tempo que as probabilidades de tudo correr bem (com umas intoxicações alimentares pelo meio) são bastante grandes.  Mas não são estas dúvidas existenciais de última hora que me vão parar de viver os meus sonhos.

Ter medo é normal, o ser humano sente-se desconfortável com o desconhecido e imprevisível. Mas e depois? Arriscar é viver!

Mito 3# – “És mulher, vais ser assediada”

Este mito só toca às mulheres e para mim é o mais irritante de todos. Só porque somos mulheres a viajar sozinhas parece que estão reunidas as condições perfeitas para sermos assediadas sexualmente ou violadas. A verdade é, que enquanto mulher, achei que as pessoas se preocupam muito mais com o nosso bem-estar e tentam ajudar sempre que possível.

Para além disso ser mulher é “perigoso” em todo o mundo. Em nenhum lado podemos ficar bêbadas sozinhas ou andar em zonas particularmente mal iluminadas à noite. Infelizmente isto é universal e ao viajar tens que ter os mesmos cuidados que tens em todo o lado.

Mito 4# – “Vais para [inserir destino não Europeu]. Olha que ouvi dizer que é perigoso”

Este é o argumento preferido dos fans do “Presos no Estrangeiro” ou daqueles rankings incríveis que aparecem todos os anos sobre “Os países mais perigosos do mundo”. Claro que não recomendo ir para países com situações de guerra, mas generalizar que toda a América do Sul ou Central é perigosa por causa dos cartéis de droga ou que todo o continente Africano tem Malária é parvo. Ainda este ano viajei durante três semanas pelas Filipinas, de momento considerada um país perigoso, e em lugar nenhum vi sinais de alarme. Claro que não me fui meter na ilha dominada pelo Estado Islâmico, mas isso é uma questão de esperteza e de estar atento à actualidade.

Assim sendo, as minhas recomendações são: lê vários meios, não acredites em tudo o que vês nos media, muita coisa é puro sensacionalismo e, se possível, fala com pessoas locais (Couchsurfing, Trip Advisor, etc…) que são muito mais úteis do que 90% dos meios de informação. E vê os Presos no Estrangeiro para não cometeres os mesmos erros parvos 😉

Mito 5# – “Meu Deus, deves ser rica”

Este é um mito geral sobre pessoas que viajam muito. Como já escrevi neste post, viajar é muitas vezes uma escolha. Uma escolha entre um bilhete de avião e o bilhete para um festival, uma escolha entre uma noite num hostel ou uma mala nova, uma escolha entre um telemóvel topo de gama ou um mês no sudoeste asiático. Muitas vezes viajar implica sacrifícios a nível financeiro e até a nível da nossa vida social (não ir àquele restaurante ou àquele bar), mas do meu ponto de vista a recompensa vale a pena.

Infelizmente os salários portugueses não são dos mais vantajosos para viajar – quando se sai da Europa percebe-se que o mundo das viagens é dominado por Alemães, Escandinavos, Holandeses, Franceses, Ingleses e Australianos – mas é possível. Simplesmente demoramos muito mais anos a poupar!

É verdade que muitas vezes viajar a solo é mais caro do que a dois ou a três, mas também te dá mais flexibilidade e é mais fácil de encontrar hosts no Couchsurfing ou de pedir boleia.

E pronto, estes são os mitos mais comuns que tenho encontrado e as frases que ouvi vezes sem conta antes de partir. E tu, quais são os melhores (ou mais irrealistas) mitos sobre viajar a solo que já ouviste? 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s